• 18988224295

Lipo Extreme

(5084776)

AKMOS  | 

Categoria:  SLIM

Aumenta a saciedade. Age na queima de gordura localizada. Ação diurética. Vasodilatador. Antioxidante. Promove o trânsito intestinal.

Quantidade: 90 CÁPSULAS  | 

Envio: CORREIO

mais informações

Lipo Extreme

(5084776)

AKMOS  | 

Categoria:  SLIM

Aumenta a saciedade. Age na queima de gordura localizada. Ação diurética. Vasodilatador. Antioxidante. Promove o trânsito intestinal.

Quantidade: 90 CÁPSULAS  | 

Envio: CORREIO

mais informações

As combinações acima não possuem estoque.

por: R$ 79,99

R$ 71,99 à vista

ou por 10x de R$ 8,00 sem juros

ESTOQUE: 3

Quantidade

+

-

COMPRAR

Ver outras formas de pagamento e parcelamento

Frete e prazo

Frete e prazo

calcular

Não sei meu cep

Descrição do Produto

Lipo Extreme

Produto inovador, capaz de fazer uma lipo sem cortes. Formulado com uma combinação exclusiva, o Lipo Extreme é um produto exclusivamente para o emagrecimento.

 

Compostos que apresentam na fórmula:

Psyllium

O psyllium cujo nome científico é Plantago psyllium L., pertence a família Plantaginaceae.

O psyllium é uma erva que mede menos de 50 cm e produz flores brancas, agrupadas em espigas na ponta de pequenas hastes. Cresce espontaneamente nos solos áridos e arenosos do Mediterrâneo. Seu nome deriva do grego psylla (pulga), referindo-se a semelhança de suas sementes com este inseto. O seu uso foi popularizado com o advento dos árabes e persas na Índia e começou a ser utilizada pelos europeus no início do século XIX.

Com exceção da casca da semente, onde encontra-se grande quantidade de fibras, as demais partes não tem uso medicinal.

O efeito benéfico da ingestão de fibras solúveis é um fato amplamente conhecido. O Psyllium por ser rico em fibra do tipo solúvel possui uma enorme capacidade de reter água, a esta característica chamamos de capacidade hidrófila, que no caso do Psyllium a relação é para cada grama da fibra ocorre uma retenção entre 10 gramas de água. Por causa desta enorme capacidade de reter água, conseqüentemente o Psyllium forma um gel viscoso, capaz de ligar-se a moléculas tais como, proteínas e carboidratos simples (açúcares). O psyllium possui na sua constituição L-arabinose, D-xilose e ácido galacturônico, mas seus principais constituintes são as fibras, mucilagens e óleos. O mecanismo de ação do psillium é na redução da pressão intraluminal reduzindo a possibilidade de formação de divertículos. Seus efeitos ultrapassam o âmbito intestinal. Retarda tanto o esvaziamento gástrico como a absorção de glicose a partir do intestino delgado. Devido a sua indigestibilidade, as fibras alcançam o cólon praticamente inalterado, causando aumento no volume de conteúdos colônicos com conseqüente ativação da motilidade propulsora. Seus óleos também favorecem a propriedade laxativa.

O psyllium age como um laxativo mecânico suave, emoliente e demulcente. É indicado em casos de obstipação crônica, coadjuvante da evacuação intestinal em casos de hemorróidas, gravidez, convalescença, períodos pós-operatórios e senelidade, pois ele normaliza o tempo de trânsito intestinal, aumentando ou diminuindo este tempo, conforme a necessidade. Favorece também o amolecimento das fezes e reduz a necessidade de esforço para evacuação.

Outro benefício do psyllium é como complemento em dietas de emagrecimento, tendo em visto que sua ingestão antes das refeições favorece a um aumento na sensação de saciedade, bem como liga-se a moléculas de carboidratos simples impedindo sua absorção a nível intestinal. Quando ingerido antes das refeições pode reduzir a sensação de fome.

O Psyllium também foi estudado por RIGAUD et al. (1998) em relação aos seus efeitos sobre a saciedade em dietas de baixa caloria. No estudo verificou-se que pelo fato de ocorrer um aumento na viscosidade do alimento quando em contato com as fibras solúveis do Psyllium, reduz-se conseqüentemente a interação entre os nutrientes dos alimentos e as enzimas digestivas, e com isto também ocorre um retardamento na absorção de alguns substratos energéticos pelo intestino.

Em estudos realizados demonstrou possuir a propriedade de reduzir o colesterol sérico total, reduzindo o LDL-colesterol e aumentando o HDL-colesterol. O efeito do Psyllium sobre às doenças crônico-degenerativas, foi analisado em 2000 por ANDERSON et al. onde ocorreu uma suplementação de Psyllium por longo prazo (26 semanas) na dieta de homens e mulheres com hipercolesterolemia (colesterol alto ). O resultado foi um decréscimo de 4,7% do colesterol total e 6,7% do colesterol-LDL do grupo do Psyllium em relação ao placebo.

Um outro estudo ANDERSON et al. foi realizado com homens com diabetes tipo 2 e hipercolesterolemia por 8 semanas, e neste estudo também a suplementação com Psyllium mostrou-se eficaz no grupo tratado com Psyllium em relação ao grupo tratado com placebo. Concluindo, o Psyllium é uma ferramenta adicional na alimentação das pessoas que apresentem problemas de função intestinal, devido a sua capacidade laxativa , ou pessoas que estejam ingerindo dieta baixa caloria e com isto necessitem aumentar a saciedade, e porque não falar em relação a prevenção de doenças crônico-degenerativas, entretanto a indicação de uso não deve ser indiscriminada e preferencialmente deve ser seguindo as recomendações de um médico ou nutricionista.

Não há qualquer contra-indicação de seu uso durante a gestação e lactação, sendo inclusive recomendado durante a gravidez nos casos de constipação intestinal.

 

Laranja Amarga

Laranja amarga de nome científico Citrus aurantium L., é uma planta medicinal também conhecida como laranja-azeda, laranja-cavalo e laranja-da-china. Trata-se de uma planta originária da Ásia, cujo extrato é rico em Sinefrina.

Essa planta medicinal é muito utilizada como um suplemento dietético no tratamento de indivíduos obesos, pois possui uma ação inibidora do apetite que auxilia na perda de peso. A laranja amarga (Citrus aurantium) tem sido aclamada como sendo um “substituto seguro da efedra” na redução de peso, pois sua composição apresenta ingredientes ativos como a sinefrina e octapamina.

A Sinefrina e os outros alcalóides encontrados no Citrus aurantium são agentes adrenérgicos que estimulam a lipólise e aumentam o metabolismo basal através do estímulo da termogênese (transformação de gorduras em energia) e aumenta a massa muscular magra. Este produto é muito importante para o tratamento da obesidade, pois a queima de calorias é um processo metabólico natural do nosso organismo, porém, este processo torna-se prejudicado quando as pessoas envelhecem ou acumulam grande quantidade de gorduras.

Possui as seguintes propriedades: antiartrítica, alcalinizante, rejuvenescedora, laxante; inibidora do apetite, anti-inflamatória, antirreumática, antisséptica, aperiente, calmante, antiúlcerogência, digestiva, relaxante, sudorífica, sedativa, febrífuga, estomacal, diurética, depurativa, carminativa, vermífuga, vitamínica, antidepressiva; antiescorbútica.

Apesar dos seus benefícios o uso dessa planta medicinal deve ser feito com cautela, pois a laranja-amarga age também como um estimulante adrenérgico que pode aumentar a pressão arterial.

 

Chá verde

O Chá verde é um tipo de chá feito a partir da infusão da erva Camellia sinensis. É chamado de verde porque as folhas da erva sofrem pouca oxidação durante o processamento. Algumas outras ervas são vendidas a título de chá verde, porém o verdadeiro chá verde é o feito a partir da folha do arbusto Camellia sinensis.

Muito popular na China e no Japão, há pouco tempo começou a ser consumido com maior freqüência no ocidente, tradicional consumidor de chá preto, devido tanto a uma tendência orientalista, quanto às propriedades antioxidantes a ela atribuídas.

Estudos indicam que o chá verde é rico em substâncias antioxidantes, chamadas polifenóis, que evitam a ação destrutiva das moléculas de radicais livres que degeneram as células, auxiliando, por exemplo, no combate ao câncer, ao envelhecimento e na queima de gorduras.

O chá verde também é rico em tanino que faz diminuir as taxas do LDL (colesterol ruim) e fortalece as artérias e veias favorecendo a prevenção de doenças cardíacas e circulatórias. Possui bioflavonóides e catequinas: substâncias que bloqueiam as alterações celulares que dão origem aos tumores. Os flavonóides e as catequinas são os principais componentes químicos terapêuticos da C. sinensis, sendo potentes antioxidantes, scavengers de radicais livres, quelantes de metais e inibidores da lipoperoxidação.

Um estudo feito nos Estados Unidos indica que o extrato de chá verde pode suprimir o crescimento de Helicobacter pylori (em vivo e em vitro). Um outro estudo feito na Coreia do Sul sugere que um polissacarídeo ácido encontrado no chá verde é significativamente efetivo na prevenção da adesão do H. pylori a células epiteliais humanas em cultura.

O chá verde também possui manganês, potássio, ácido fólico, vitamina C, vitamina K, vitamina B1 e a vitamina B2. Além de todos estes benefícios o chá verde é diurético.

 

Indicação

Acelera o metabolismo;

Auxilia nos regimes de emagrecimento;

Ajuda a queimar gorduras- efeito termogênico;

Ajuda a eliminar as toxinas do organismo;

Diurético;

Combate a ansiedade;

Antioxidante;

Melhora o aspecto da pele;

Saciador de apetite;

Regula o trânsito intestinal.

 

Recomendações

Nunca compre produtos sem orientação de um profissional habilitado. Não deve ser consumido por gestantes, nutrizes e crianças e pessoas com hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Pessoas que possuem hipertensão, fazer o uso acompanhado de orientação médica.

É necessário uma dieta e exercícios físicos para auxiliar a redução de peso.

Embora não existam contraindicações relativas a faixas etárias, recomendamos a utilização do produto para pacientes de idade adulta.

 

Reações adversas

Sudorese.

 

Contra-indicações

Este produto é contra-indicado para crianças, gestantes, nutrizes e pacientes com hipersensibilidade ao produto.

 

Modo de usar

Ingerir 2 (duas) cápsulas duas vezes ao dia, preferencialmente às 10:00 h (2 cápsulas) e às 17:00 h (2 cápsulas). Não exceder a dosagem recomendada.

 

Incompatibilidades

Não há relatos até o momento, nas literaturas pesquisadas.

 

Toxicidade e mutagenicidade

Não há relatos até o momento, nas literaturas pesquisadas.

 

Conservação

Armazenar o produto em temperatura entre 15°C a 30°C e em local escuro, ventilado e seco.